quarta-feira, 13 de março de 2013

Eu,

Eu,
Espectador do Espectro,
Criador de antíteses,
combino símbolos e frases
em uma ordem desordenada.

Vejo as cores no som do olfato
do sentido que me vem.

Encarcero e liberto sentimentos e momentos
a sangue frio,
gota a gota.
Crio situações que ainda não vivo
e depois julgo profecias.
E me vejo escrevendo minha própria história com suor,
sangue e risos,
sem saber.


2 comentários:

Victor Martins (desabadevaneios.blogspot) disse...

A mistura disforme e colossal que forma o "eu" interior...Uma bagunça bela!!

Leandro Torres disse...

Com certeza!
É o nosso jeito de estravazar aquilo que sabemos mas ainda não entendemos de nós mesmos, Obrigado!