quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Anti-Antes



O pão e a pedra nas mãos
e uma só escolha:
_ atirar ou comer em silêncio.

Logo como a pedra e atiro o pão.
Longe da heresia
meu santo ato redime meu dia.

Sacrifício de alma
ou o prazer contínuo
da inércia, existente antes do homem
que devora cada canto de espaço vazio?

Nem a maior das estrelas se livra
da magnitude do não ser que devora
e engole o rastro da história
de si
e cai dentro do si mesmo.

Mostrando que qualquer esforço
morre dentro de si,
se não é maior que a vontade
que as coisas possuem de persistir naturalmente.

Um comentário:

CLÉBER VERÍSSIMO BORTOLUZZI disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.